Deixar o carro em casa e começar a utilizar mais a bicicleta é uma boa maneira de ajudar o meio ambiente, mas pode ser até melhor. Já pensou que a sua bike pode ser feita de material sustentável? Veja algumas opções:

 Bike de papelão:

Essa foi feita por Izar Gafni, engenheiro mecânico israelense que, inspirado em uma canoa de papelão, criou sua bike com 95% de material reciclado. Gafni gastou 12 dólares para produzí-la. http://vimeo.com/37584656

Bike de Bambu:

O músico brasileiro Klaus Volkmann, junto ao seu amigo e sócio Thiago Rempel, já criou várias bikes, da tradicional ao monociclo. O modelo reclinado de bambu, no entanto, veio através de um pedido de Dug Shelby, que está sempre se aventurando em busca de alguma causa. Ele queria um modelo da planta para atravessar o norte do continente americano, com a intenção de arrecadar recursos em prol de organizações que combatem o tráfico de seres humanos. Bacana a ideia, né?

Se você se interessou pode entrar em contato através do e-mail artbike@artbikebamboo.com

É o iBamboo, um simples pedaço de bambu com espaço para encaixar um iPhone, permitindo assim que o som saia pelas laterais com mais força e com a mesma qualidade. Por utilizar apenas o seu design para propagar o som, o “aparelho” não precisa de energia para funcionar.

Inventado pelo engenheiro Anatoly Omelchenko, o produto, que além de bonito e sustentável, “pode economizar muitos recursos naturais que atualmente estão sendo depredados pela indústria”. Um iBamboo feito de plástico reciclado está passando por testes e, em breve, deve estar à venda por apenas 29 dólares, enquanto a versão feita de bambu custa 25.

Fonte: Exame

 

O horário de verão acabou, e aquele solzinho por mais tempo no final de tarde também. Com o objetivo de diminuir o consumo de energia para poder distribuí-la com mais qualidade, o horário de verão desse ano teve uma redução de 4,6% no consumo no horário de pico, gerando uma economia de 160 milhões de reais.

Porém, mesmo com a luz do sol indo embora mais cedo, ainda é possível continuar economizando energia elétrica e diminuindo suas despesas.

As lâmpadas com tecnologia mais antiga geralmente iluminam menos e consomem mais, além de ter uma vida útil pequena. Por isso, é aconselhável utilizar lâmpadas fluorescentes, que proporcionam maior luminosidade e podem gerar uma economia de até 80%.

Fique de olho no tempo de cada banho. Chuveiros elétricos costumam gastar bastante energia: cerca de 25% do total de uma residência. Quanto menor o tempo do banho e mais baixa a temperatura da água, maior a economia.

Na hora de lavar roupas, opte pela maior quantidade possível numa só lavagem. Para passá-las, o ideal é deixar as roupas leves para o final, antes de desligar o ferro, pois ele ainda fica quente mesmo após 10 minutos desligado.

Essas são algumas medidas simples, mas que, a longo prazo, fazem uma grande diferença na sua conta de luz. Além, claro, de amenizar os efeitos contra o meio ambiente.